sábado, 25 de abril de 2009

COMEMORE SUAS VITÓRIAS MESMO QUANDO SÃO PEQUENAS.

video

Observe no final do video, que o jogo estava 1x10 e mesmo assim teve o espírito de comemorar o ponto com uma jogada sensacional.

"Comemore suas vitórias mesmo quando são pequenas". Maria Teresa Maldonado

quarta-feira, 15 de abril de 2009

O BARATO SAI CARO.


Esse ditado popular, apesar do tempo é tão utilizado em virtude da freqüência como as pessoas tratam as suas necessidades. Necessidades essas que envolvem em alguns caso, risco de morte. Porquê as pessoas buscam tirar proveito ou vantagem de uma situação ou condição? Problema cultural ou formação familiar? Quem não quer pagar mais barato? Todos nós buscamos uma condição favorável. Mas o que faz uma pessoa a trocar o certo pelo duvidoso? Quantos golpes são dados a todo o momento em pessoas que de certo modo buscavam um vantagem em uma compra ou em um negócio. Pessoas que não buscam levar vantagem, dificilmente passam por situações de perda e desespero. Lido a todo momento com pessoas que não estão interessadas em um bom negócio, e sim em pagar o menor preço possível e por conseqüência se arrepender, provavelmente terá que fazer novamente e pagar duas vezes pelo mesmo serviço ou produto. O barato sai caro mesmo. O objetivo não é pagar mais caro, mas buscar o equilíbrio entre o custo e benefício em tudo que for fazer e não buscar sempre o menor preço. Quando baixamos o preço do produto ou serviço, automaticamente dispara a dúvida se o produto é de qualidade ou não. Cobre o que ache justo e surpreenda o seu cliente, faça mais do que ele espera pelo aquilo que pagou e tenha a certeza que isso não tem preço e irá gerar novos negócios no futuro. Não estou querendo mudar a forma das pessoas pensar e agir, mas criar o momento de reflexão na hora da compra de um produto ou serviço. Entender que se não pode fazer tudo, faça tudo o que puder. Entender que poderá mudar as coisas que podem ser mudadas, aceitar as que não podem e ter a sabedoria de perceber a diferenças entre elas na hora de tomar uma decisão. Tenha empatia, pratique o senso de justiça, em primeiro lugar com você mesmo e depois com as pessoas. Pense assim e seja feliz na vida pessoal e em seus negócios.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

AGREGAR MAIS VALOR E SER EXCLUSIVO.

Como estabelecer o preço do seu serviço ou produto? Quando falamos em produto, e do mesmo produto fica mais difícil pois é comparável. Em algumas ocasiões o mercado se mostra agressivo, principalmente quando relacionado a preço, normalmente acompanha-se os preços praticados sob pena de não vender os produtos em estoque. Podemos falar de produtos, que não são comparáveis, um bom exemplo é o pão francês. Veja que a forma, o atendimento, instalação, a localização, a qualidade, faz de um produto de fácil comparação em um produto não comparável, em um produto exclusivo, isso é gerar valor ao produto. Os especialistas falam que a empresa determina o preço de venda do seu produto e não o mercado, os que vivem o comércio na prática e não na teoria, não concordam com essa afirmação. Por diversas vezes em mesa de negociação com fornecedores, utilizávamos o preço de venda da concorrência como ponto de partida para negociação dos custos, de certa forma, o mercado estabelece o preço de venda, a não ser que o produto seja exclusivo. É possível ter um produto exclusivo no dias de hoje? Tenho absoluta certeza que sim, podemos utilizar o exemplo do pão francês e ter um produto exclusivo, tudo vai depender de que forma será colocado à venda. O serviço é outro produto que pode ser exclusivo. Ser detentor de um conhecimento que nenhum outro tem, fica mais fácil estabelecer o preço de venda, pois não tem concorrente. Me deparo todos os dias com pessoas que não valorizam o trabalho dos outros, mesmo sabendo que ele não é capaz de fazer igual ou pelo menos parecido. No âmbito intelectual, do conhecimento e do talento é mais amplo, apesar de ser um serviço, ainda pode ser comparável, exatamente pelo que se pode produzir. Dizem que não é preciso ser padeiro para saber se o pão é bom ou não. Comentarista de futebol é outro exemplo, apesar de nunca ter jogado futebol profissionalmente, tem um monte deles fazendo os seus comentários a respeito e a comparação é inevitável. O serviço segue o mesmo princípio no meu entender a respeito do produto, para que não seja comparável, vai depender do valor que agregar. Veja que um simples bom dia, olhando nos olhos e um belo sorriso, pode ser não comparável. Parece coisa simples, mas pode ter certeza que são poucos os casos, apesar de todas as orientações e treinamento. Para ser exclusivo, não comparável, não precisa fazer muito, a grande maioria já saí de casa com vontade de voltar.